Sonhou a terra e nasceram os poetas. Tantos temas de amor! Tantos profetas! Fala-me de amor poeta, hoje há luar. Há pouco o sol nasceu e me acordou, longo vai ser o dia e ainda não passou. Consumo a claridade que me consome. Resisto.
Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2007
Silêncio

                                                 

  

    No silêncio penso as palavras

    E no silêncio me esgoto

    Os dias absorvem-me os gestos

    Só os passos são constantes

    Intermitente é a consciência!

 

                                                             Fluem as palavras convenientes

                                                             Isolam-se os pensamentos

                                                             No silêncio que me esgota.

                                                          

      Aida Nuno


sinto-me: esgotada

publicado por criar e ousar às 17:36
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2007
A Máscara

 

    A máscara está no rosto

    A imagem está perfeita

    Somos o que não somos

    Não há suspeita.

 

    Somos o que não somos

    A verdade do que somos

    Não tem graça

    Põe a máscara, sorri.

 

   O pensamento é nosso

   Também os sonhos

   Disfarçamos com palavras

   O que nós somos.

 

   Mas, no momento certo

   Quando a madrugada é fria

   E o sol ainda vem longe

   Mostramos o que somos...mas a sós

                                                          

                                                                                      Aida Nuno   


sinto-me: muitas vezes mascarada

publicado por criar e ousar às 15:37
link do post | comentar | favorito
|

Resgate

   

       O mar me envolve

       Leva-me para longe...

       Desenraizei-me da Terra

       Sem murta, nem espigas.

 

       A Terra

       De mim se desprendeu

       Como um vestido

       Fujo sem dor

       Sem um gemido.

 

       Chamo sem voz

       O mar se revoltou

       Incharam encapeladas

       As suas vagas

       Dádiva eu sou

       Deixo para trás a Terra

       Habito nas suas águas.

 

       Imensidão de mar!

       Que não se acalma

       No seu rolo

       Vêm as ondas

       Quebrar na praia

       Do seu lodo

       Resgato a minha alma.

                                        

                                                                                        Aida Nuno


sinto-me: por vezes confusa
tags: , , ,

publicado por criar e ousar às 14:55
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 8 de Fevereiro de 2007
Vampiros

 

     Crianças, tantas crianças                                            

      Passam a infância a chorar

      Não querem acreditar

      Na sorte que as marcou.

  

      Arrastam a sua morte

      Para elas nada sobrou

      O mundo não vê, não crê

      Morto está quem as matou.

  

      Sorriem neste bailado 

      Os vampiros tão falados

      Negam tudo, tudo, tudo

      Acreditar para quê?

 

      Dobra-se o corpo e fenece

      O seu fim ninguém conhece

      As almas vagueiam já

      As penas ficam por cá...

                                                                       

                                                Aida Nuno


sinto-me:

publicado por criar e ousar às 17:41
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
E-mail
posts recentes

Os demónios

A Voz das Palavras

Mocidade

Amanhã

Sol de Inverno

A Pedra

Dá-me a tua mão

Meu Filho Primeiro

Pássaro Azul

Ciclo da Fome

Elevação

Esta terra onde habitas

Ilusão

Que Futuro?

Interrogações

Imagens

Tão ao de leve...

Bagatelas

Mãos

Preguiça

Ambição

A Espera

Silêncio

A Máscara

Resgate

favoritos

E o que Fazer?

Partilhar

Aos nossos Filhos

Valorizando a Vida

Mensagem

Os Cristos no Mundo

Ambição

Emigrantes

Afectividade

A Ausência

arquivos

Novembro 2012

Outubro 2011

Setembro 2011

Maio 2011

Dezembro 2007

Outubro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

tags

todas as tags

links
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
14.02.07
blogs SAPO