Sonhou a terra e nasceram os poetas. Tantos temas de amor! Tantos profetas! Fala-me de amor poeta, hoje há luar. Há pouco o sol nasceu e me acordou, longo vai ser o dia e ainda não passou. Consumo a claridade que me consome. Resisto.
Quarta-feira, 18 de Abril de 2007
Tão ao de leve...

 

 

    

Deixo-me esvoaçar…Não tenho asas

Ao de leve vou. Tão ao de leve

Mergulho o meu olhar noutro tão breve

Breve é a nuvem que tão leve passa.

  

Onde vais gaivota em voo tão leve?

O céu na noite azul, tem luz vinda da terra

A noite em brancas asas assim me encerra

Quem esvoaça? O grito? A luz? As asas?

 

Dou o grito à noite. Da brisa me alimento

A lágrima essa secou, levou-a o vento

Por mim a gaivota desdobrou as asas.

 

No céu da noite azul eu vou voando.

Uma leve brisa vai por mim passando

Por mim a gaivota desdobrou as asas.

 

 

                                        Aida Nuno 

 


sinto-me:
tags: , , , ,

publicado por criar e ousar às 17:18
link do post | comentar | favorito
|

8 comentários:
De Genny a 19 de Abril de 2007 às 13:49
Se conseguisses voar para onde ías? Para onde te leva a tua imaginação? Eu queria voar para um mundo sem injustiças, em que todos fossemos iguais.
Admiro e gosto muito dos teus poemas. Obrigada por os partilhares connosco.
Um abraço


De criar e ousar a 20 de Abril de 2007 às 14:02
Não sei minha amiga Geny. A imaginação faz-me muita companhia. A realidade essa confunde-me com tanta injustiça. Como verificas todos os dias o mundo é dos oportunistas que se julgam deuses eternos e continuam a abusar da nossa boa fé.

O que eu queria realmente era instrução para todos porque a partir daí tudo passaria a ser diferente. Porque é que há tanta ignorância acalentada pela própria igreja? E os media? E os favores?

Todos os poderosos precisam de ter pobres de toda a espécie, seja na instrução, na religião, na falta de pão para que eles sigam com o seu poder. Sentem-se endeusados.

Por hoje chega. Sou livre de qualquer partido e acreditando em Deus gosto de pensar pela minha cabeça.

Até breve,

Aida


De marcos galinari a 20 de Abril de 2007 às 20:32
Olá, sou Marcos Galinari - argumentista brasileiro.
Parabens pelo blog!
Se tiver um tempinho dá uma passadinha no meu:
www.marcosgalinari.blogspot.com

cumprimentos,

Marcos Galinari


De criar e ousar a 20 de Abril de 2007 às 23:35
Olá amigo!

Muito obrigada pela sua atenção.

Amanhã vou para fora da cidade e só regresso 5ª.feira. Quando chegar vou dar uma boa olhada sobre o seu trabalho e depois escreverei.

Gostaria da sua opinião sobre o blog Filantropia. blogs.sapo.pt.

Com amizade,

Aida


De Sailing a 20 de Maio de 2007 às 22:49
Que a Gaivota se eleve no ceu e faça que o teu sonho flutue como uma pena.

Parabens pelos poemas

Sailing


De criar e ousar a 21 de Maio de 2007 às 12:42
Obrigada amigo.

É sempre muito gratificante umas palavrinhas assim tão bonitas.

Com amizade,

Aida Nuno


De Homem-Peixe a 28 de Abril de 2009 às 23:35
Gostei bastante do poema. Muito mesmo.
A temática tocou-me expecialmente...


Aproveito para deixar o meu blogg:

http://homem-peixe.blogspot.com/


De criar e ousar a 4 de Maio de 2009 às 10:42
Obrigada amigo.

É sempre bom receber palavras de incentivo.

Até breve

Aida Nuno


Comentar post

mais sobre mim
E-mail
posts recentes

Os demónios

A Voz das Palavras

Mocidade

Amanhã

Sol de Inverno

A Pedra

Dá-me a tua mão

Meu Filho Primeiro

Pássaro Azul

Ciclo da Fome

Elevação

Esta terra onde habitas

Ilusão

Que Futuro?

Interrogações

Imagens

Tão ao de leve...

Bagatelas

Mãos

Preguiça

Ambição

A Espera

Silêncio

A Máscara

Resgate

favoritos

E o que Fazer?

Partilhar

Aos nossos Filhos

Valorizando a Vida

Mensagem

Os Cristos no Mundo

Ambição

Emigrantes

Afectividade

A Ausência

arquivos

Novembro 2012

Outubro 2011

Setembro 2011

Maio 2011

Dezembro 2007

Outubro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

tags

todas as tags

links
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
14.02.07
blogs SAPO